Pular para o conteúdo principal

Pescando em outras águas | A despedida do Pescador Pixico

Texto: Lígia Apel

“Não tinha um dia que se encontrasse com ele, que ele não tivesse um sorriso no rosto, mesmo diante de toda dificuldade”.  Assim a bióloga Liliana Souza descreve a  personalidade do seu Pixico, pescador 
artesanal de Cajueiro da Praia, no Piauí, falecido no dia 22 de julho, em decorrência do Covid 19, no Hospital Estadual Dirceu Arcoverde (HEDA), em Parnaíba.

O pescador Francisco Roque dos Santos, seu Pixico, 65, é mais uma das vítimas do descaso com que o poder público brasileiro vem tratando a pandemia que assolou o planeta e está levando o novo coronavírus para os mais distantes rincões do Brasil.

Liliana, acompanha há oito anos o Projeto Peixe-Boi Marinho, no Pontal do Socó, na Área de Proteção Ambiental Delta do Parnaíba, e tem uma forte ligação com os pescadores desse território, pois são os mais importantes aliados na proteção de um dos maiores abrigos de peixe-boi marinho do Brasil.

Para a bióloga, a perda de seu Pixico é irreparável. “Antes de se internar saiu todo animado, brincando e dizendo pra deixar a pesqueira dele arrumada, que ele voltava e ia continuar na lida da pesca. Ele era uma pessoa alegre, animada, sempre participou das nossas reuniões e sempre apoiou a proteção do meio ambiente, participando das atividades no território. O legado que seu Pixico deixa para todos nós é agir com firmeza e alegria, nunca deixar de fazer o que precisa ser feito”.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Pescando em outras águas | Colônia Z-4 se despede de seu Romildo

Texto por Lígia Apel A Colônia de Pescadores Z-4, de Olinda, Pernambuco, está de luto. Dia 23, sexta feira passada, faleceu  Senhor Romildo na festa do padroeiro dos pescadores, São Pedro. Foto: álbum de família. seu presidente Romildo Ferreira de Holanda, vítima da Covid 19. O pesar é grande entre seus familiares e amigos que o tinham como uma das mais importantes lideranças dos pescadores e pescadoras artesanais do território pesqueiro onde se localizam as comunidades Amaro Branco, Ilha de Maruim, Jardim Atlântica e Rio Doce, nas imediações da ponte Limoeira e Ponta do Janga, entre Recife e Olinda. “Essa responsabilidade é comigo, agora. Vou ver  se junto os pescadores e dou conta da continuação da luta dos pescadores daqui de Olinda”, disse o vice-presidente da Colônia, Nilson Monteiro da Silva, lembrando da perda de sua mãe e irmão. “É muita dor para uma pessoa só, mas nós vamos pedir primeiramente a Deus sabedoria, força, coragem, pra gente se unir um com o outro, tanto os pescado

Observatório lança Nota em repúdio à resolução 500/2020 do Conama

Movimentos e organizações de pescadores e pescadoras artesanais, pesquisadores e ativistas acabam de lançar nota  de repúdio  à resolução 500/2020 do Conama. 448  organizações, no total, assinam a nota. No documento divulgado hoje (01/10),  as organizações alertam para o impacto que a medida pode ter sobre os manguezais, afetando diretamente no meio ambiente, na reprodução das espécies marinhas e no aceleramento das mudanças climáticas. Outra preocupação apontada na nota é que a resolução 500/2020 aumente o risco de conflitos nos territórios pesqueiros, ameaçando assim a vida e a permanência dos pescadores e pescadoras artesanais  nos seus territórios.  Confira a nota na íntegra logo abaixo ou acesse o documento por  aqui ! --------------------------------------------------------------------------- NOTA DE REPÚDIO À RESOLUÇÃO CONAMA nº 500/2020 DO 28 DE SETEMBRO DE 2020 EM DEFESA DA PESCA ARTESANAL E SUAS COMUNIDADES Nós, pescadoras e pescadores artesanais, povos e

Iniciativa que reúne pescadores, pesquisadores e ativistas, monitora os impactos da Covid-19 nas comunidades pesqueiras

O observatório também funciona como plataforma política de reivindicações e de formação Publicado originalmente no site do CPP Nacional | Por Assessoria de Comunicação do CPP Uma iniciativa que reúne pescadores e pescadoras artesanais, pesquisadores e ativistas de quase todas as regiões do Brasil têm tentado monitorar e coletar dados do avanço do Coronavírus nas comunidades pesqueiras desde o mês de março. O “Grupo Observatório dos Impactos do Coronavírus nas Comunidades Pesqueiras” têm coletado informações enviadas pelos próprios pescadores artesanais, que repassam de maneira remota, através de grupos de Whatsapp, ou através do preenchimento de um formulário online , os dados de como a epidemia tem avançado por suas comunidades e como os tem impactado. Os informes são agrupados e divulgados diariamente ao fim do dia no Boletim Diário , mas também servem de base para o boletim epidemiológico das comunidades pesqueiras, que é divulgado semanalmente.  Além de informaçõe