Pular para o conteúdo principal

Sobre nós

O Grupo Observatório dos Impactos do Coronavírus nas Comunidades Pesqueiras é formado por pescadores e pescadoras de todo o país, junto com cientistas e apoiadores da pesca artesanal, para  monitorar os impactos e discutir o enfrentamento ao covid19 nas comunidades pesqueiras.

Criado em março de 2020, o Observatório tenta preencher a lacuna da incipiência de coleta de informações realizadas pelos poderes públicos relacionados aos grupos de pesca artesanal, que desde os últimos crimes ambientais, como os de Mariana, Brumadinho e mais recentemente com o óleo nas praias do nordeste e de parte do sudeste do Brasil, têm sido profundamente impactados na saúde e na parte econômica, com graves consequências sociais, cujos impactos ainda não estão devidamente dimensionados.

As informações que subsidiam a sistematização elaborada pelo Observatório, são colhidas através da colaboração dos próprios pescadores artesanais, que enviam os dados através das redes sociais e de  um formulário na Internet, que pode ser acessado aqui.

Depois de coletadas, as informações são organizadas pelos nossos pesquisadores nos boletins diários.  O grupo de sistematização é formado por participantes indicados pelo coletivo do Observatório, estando organizado em 4 subgrupos: I- de dados quali/quantitativos; II- de educação em saúde; III- de sócio política e; IV- de comunicação. Os três primeiros sistematizam, elaboram análises e propõem caminhos. O quarto grupo trabalha junto com os demais para veicular os conteúdos em diferentes formatos. A ideia é que os dados demonstrem o cenário de contaminação e enfrentamento à pandemia, mas que também possam subsidiar na formulação de políticas públicas posteriormente.

Fazem parte do Grupo Observatório dos Impactos do Coronavírus nas Comunidades Pesqueiras:

Organizações Proponentes
-Movimento dos Pescadores e Pescadoras artesanais (MPP)
-Articulação Nacional das Pescadoras (ANP)
-Comissão Nacional pelo Fortalecimento da Resex Costeiras-Marinhas (CONFREM)
-Coordenação Nacional de Comunidades Tradicionais Caiçaras ( RJ-SP-PR)
-Conselho Pastoral dos Pescadores
-Programa de Pós-Graduação em Saúde, Ambiente e Trabalho/ Departamento de Medicina Preventiva e Social/ UFBA
-Laboratório de Gestão Territorial e Educação Popular- MARSOL/UFBA
-Laboratório Socioambiental do Centro de Estudos do Mar, LabSoc/CEM/UFPR
-Linha de Pesquisa Usos e Conflitos dos Ambientes Costeiros da Pós-graduação em Meio Ambiente e Desenvolvimento-PPGMADE/UFPR
-Núcleo de Estudos Humanidades, Mares e Rios-NUHUMAR/UFPE
-Lima-Green, analista estatístico do IBGE, aposentado

Comentários

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Olá! Instituições e pesquisadores de outras regiões que tiverem interesse em colaborar podem participar? Tem algum contato para falar diretamente com integrantes do Grupo?
    Abraços,
    Thaís.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Thaís! Isso é possível, sim! Envie um email para cppcomunicacao@gmail.com, falando-nos da instituição da qual faz parte e o motivo do interesse em participar.

      Excluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Pescando em outras águas | Colônia Z-4 se despede de seu Romildo

Texto por Lígia Apel A Colônia de Pescadores Z-4, de Olinda, Pernambuco, está de luto. Dia 23, sexta feira passada, faleceu  Senhor Romildo na festa do padroeiro dos pescadores, São Pedro. Foto: álbum de família. seu presidente Romildo Ferreira de Holanda, vítima da Covid 19. O pesar é grande entre seus familiares e amigos que o tinham como uma das mais importantes lideranças dos pescadores e pescadoras artesanais do território pesqueiro onde se localizam as comunidades Amaro Branco, Ilha de Maruim, Jardim Atlântica e Rio Doce, nas imediações da ponte Limoeira e Ponta do Janga, entre Recife e Olinda. “Essa responsabilidade é comigo, agora. Vou ver  se junto os pescadores e dou conta da continuação da luta dos pescadores daqui de Olinda”, disse o vice-presidente da Colônia, Nilson Monteiro da Silva, lembrando da perda de sua mãe e irmão. “É muita dor para uma pessoa só, mas nós vamos pedir primeiramente a Deus sabedoria, força, coragem, pra gente se unir um com o outro, tanto os pescado

Observatório lança Nota em repúdio à resolução 500/2020 do Conama

Movimentos e organizações de pescadores e pescadoras artesanais, pesquisadores e ativistas acabam de lançar nota  de repúdio  à resolução 500/2020 do Conama. 448  organizações, no total, assinam a nota. No documento divulgado hoje (01/10),  as organizações alertam para o impacto que a medida pode ter sobre os manguezais, afetando diretamente no meio ambiente, na reprodução das espécies marinhas e no aceleramento das mudanças climáticas. Outra preocupação apontada na nota é que a resolução 500/2020 aumente o risco de conflitos nos territórios pesqueiros, ameaçando assim a vida e a permanência dos pescadores e pescadoras artesanais  nos seus territórios.  Confira a nota na íntegra logo abaixo ou acesse o documento por  aqui ! --------------------------------------------------------------------------- NOTA DE REPÚDIO À RESOLUÇÃO CONAMA nº 500/2020 DO 28 DE SETEMBRO DE 2020 EM DEFESA DA PESCA ARTESANAL E SUAS COMUNIDADES Nós, pescadoras e pescadores artesanais, povos e

Iniciativa que reúne pescadores, pesquisadores e ativistas, monitora os impactos da Covid-19 nas comunidades pesqueiras

O observatório também funciona como plataforma política de reivindicações e de formação Publicado originalmente no site do CPP Nacional | Por Assessoria de Comunicação do CPP Uma iniciativa que reúne pescadores e pescadoras artesanais, pesquisadores e ativistas de quase todas as regiões do Brasil têm tentado monitorar e coletar dados do avanço do Coronavírus nas comunidades pesqueiras desde o mês de março. O “Grupo Observatório dos Impactos do Coronavírus nas Comunidades Pesqueiras” têm coletado informações enviadas pelos próprios pescadores artesanais, que repassam de maneira remota, através de grupos de Whatsapp, ou através do preenchimento de um formulário online , os dados de como a epidemia tem avançado por suas comunidades e como os tem impactado. Os informes são agrupados e divulgados diariamente ao fim do dia no Boletim Diário , mas também servem de base para o boletim epidemiológico das comunidades pesqueiras, que é divulgado semanalmente.  Além de informaçõe